quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Mas e a vida?

A vida é aquilo que acontece enquanto olhamos distraídos e displicentes pela janela. Sorrimos com uma lembrança boa, que nos mostra que nada é mero acaso.
A vida é aquele tapa na cara... que vai doer sempre mais em quem agrediu do que em quem ofereceu  o outro lado da face.
A vida é aquele baú guardado num canto e que, vez ou outra, precisamos abrir para lembrar o porquê de aquilo estar lá ainda.
A vida é aquilo que vai acontecendo enquanto tentamos nos acostumar a ter menos certezas e adotarmos mais o "agora eu sei"; "agora entendo".
A vida é aquilo que não controlamos na hora-relógio e, menos ainda, no relógio de ponto.
A vida é, como diz a música,  uma sequência de encontros e despedidas. 

Despedidas.

Sempre achei que não houvesse nada pior do que elas... Há.  O não poder despedir-se quando, ao olharmos distraídos pela janela, alguém nosso se desliga no relógio de ponto da vida.

Saudades,  Vô. Das histórias, das músicas altas no fone de ouvido, das engenhocas criadas,  das tapiocas, com 'leite de coco de verdade'; das palavras certas - às vezes nas horas erradas; das danças pouco equilibradas; do amor incondicional por nós e por Querida.

Seriam 83 no último dia 19.

Parabéns.  E obrigada.

Nenhum comentário: